By Jet Sites
 


Haras AJ

   Pode-se dizer que foi aos 16 anos de idade, em 1946 (antes, portanto, da funda√ß√£o da Associa√ß√£o do Mangalarga Marchador), que Ant√īnio de Andrade Ribeiro Junqueira come√ßou realmente seu criat√≥rio, pois embora houvesse ganho de sua m√£e Herm√≠nia uma √©gua e uma poldra Mangalarga Marchador em 1942 (a √©gua teve mal de cadeiras e nunca criou e a poldra foi a not√°vel Provid√™ncia Beleza), s√≥ come√ßou a anotar as padrea√ß√Ķes em 1946. As √©guas da Fazenda Provid√™ncia, situada no ent√£o distrito de Planalto (que fica entre S.J. Rio Preto e Ara√ßatuba), de um modo geral, foram trazidas do Sul de Minas pelo av√ī materno de Ant√īnio (Arlindo Ribeiro de Andrade), nascido na Fazenda do Mato Sem Pau, ent√£o munic√≠pio de Lavras, MG, alguns anos ap√≥s ter o mesmo adquirido a Fazenda Provid√™ncia na d√©cada de 1920.

   Tendo doado esta Fazenda a seus filhos, Herm√≠nia (Sec√ß√£o do Pau d‚ÄôAlho), Em√≠lia (Sec√ß√£o do Barreiro) e Samuel (sede), em 1937, foram as √©guas tamb√©m objeto de doa√ß√£o aos mesmos, Samuel retirou logo a sua parte, ficando em comum as √©guas pertencentes a Herm√≠nia e Em√≠lia. Em 1946, quando foi passar as f√©rias na Fazenda Provid√™ncia, Ant√īnio pediu ao seu av√ī materno se poderiam ser divididas as √©guas de sua m√£e e de sua tia, com o que concordou Arlindo; mandando ent√£o que um gerente, que tinha para olhar suas Fazendas, o fizesse. Nestas mesmas f√©rias foram os dois plant√©is divididos. Em 1942, Arlindo j√° havia pedido ao seu irm√£o, ent√£o propriet√°rio da Fazenda do Mato Sem Pau (Manoel Ribeiro de Andrade), para lhe vender um garanh√£o que refrescasse o sangue da eguada pertencente √†s suas filhas.

   Este garanh√£o se chamava Nilo. Apoiou o seu criat√≥rio em 3 √©guas bases que foram: Provid√™ncia Beleza, Provid√™ncia Princesa e Provid√™ncia Creoula (√©guas antigas do criat√≥rio Provid√™ncia, sem sangue do Nilo). Em 1946, Ant√īnio come√ßou a anotar as padrea√ß√Ķes deste cavalo com as √©guas antigas da Fazenda e de algumas, j√° filhas deste, com as referidas √©guas antigas.

   Em 1951, Ant√īnio resolveu ir at√© a Fazenda Aba√≠ba comprar um garanh√£o de seu pai.
   Entre os garanh√Ķes que viu: Aba√≠ba Emir, Aba√≠ba Eldorado, Aba√≠ba Muqui, Aba√≠ba Naipe e Aba√≠ba New York (estes dois √ļltimos, potros ainda, com 3 anos de idade), ficou logo, assim que o viu sair da cocheira, apaixonado pelo Eldorado.

   Embora soubesse que era dif√≠cil adquirir esse garanh√£o, Ant√īnio n√£o conseguiu escolher outro. Voltou para S√£o Paulo, e qual n√£o foi sua surpresa, quando teve not√≠cias que o Eldorado vinha vindo por estrada de ferro (que era o transporte da √©poca) acompanhado pelo Darcy Pinheiro (criado desde os 12 anos por Erico, sendo seu pe√£o de confian√ßa). Conseguiu Ant√īnio que Eldorado ficasse descansando alguns dias no Parque da √Āgua Branca; enquanto isso, mandou chamar o fiscal da Fazenda Provid√™ncia (Sec√ß√£o do Pau d‚ÄôAlho), Jo√£o Pedro Rodrigues, para vir busca-lo. Juntos, embarcaram Eldorado (tamb√©m por estrada de ferro) para S√£o Jo√£o do Rio Preto. De autom√≥vel, Ant√īnio e o fiscal da Fazenda foram acompanhando a viagem do cavalo, parando em algumas cidades onde informaram-se onde o vag√£o com o cavalo ia parar, para dar ra√ß√£o, verde e √°gua ao mesmo. Em S√£o Jo√£o do Rio Preto, Eldorado foi desembarcado e foi por terra puxado pelo cabresto por Jo√£o Pedro Rodrigues e um pe√£o da Fazenda, que o estava esperando, com dois cavalos de custeio, at√© a Fazenda Provid√™ncia (Sec√ß√£o do Pau d‚ÄôAlho), descansando nos pontos de pouso que existiam para boiadas. Infelizmente naquela √©poca, n√£o existiam caminh√Ķes com grade. Assim, no 2¬ļ semestre de 1951, Aba√≠ba Eldorado chegou √† Fazenda Provid√™ncia (Sec√ß√£o do Pau d‚ÄôAlho). Cobriu, nesse ano, praticamente, todas as √©guas do plantel e algumas do plantel de sua tia (Em√≠lia). Como nessa √©poca estava ocorrendo nessa regi√£o uma esp√©cie de epidemia, "mal das cadeiras", e o tratamento era dif√≠cil e prolongado, Ant√īnio resolveu levar as √©guas para a Fazenda Lagoa Formosa, de seu av√ī. Foi nesta Fazenda que nasceu Retrato, o 1¬ļ filho de Aba√≠ba Eldorado, em terras paulistas, em 24/10/1952.

   Ant√īnio mandou Retrato, beirando os 5 anos de idade, de presente para seu pai. L√°, foi o mesmo registrado com o prefixo Aba√≠ba, passando a se chamar Aba√≠ba Retrato (reg. 101). E √© ele o pai de Aba√≠ba Marengo. Com exce√ß√£o de Retrato, nesta primeira prole, todos os filhos de Aba√≠ba Eldorado, receberam nomes come√ßados pela letra A: assim tivemos Provid√™ncia Alvorada, Provid√™ncia Argentina, etc. No ano seguinte a letra B e assim sucessivamente. Infelizmente, os animais s√≥ puderam permanecer um ano, na Fazenda Lagoa Formosa, pois havia car√™ncia de f√≥sforo na regi√£o e v√°rias √©guas come√ßaram a aparecer com "cara inchada". Voltaram a eguada e o Eldorado ent√£o para a Fazenda Provid√™ncia (Sec√ß√£o do Pau d‚ÄôAlho). L√° o criat√≥rio continuou por muitos anos, at√© mais ou menos 1972, tendo sido levado depois para a Fazenda Lagoa Formosa novamente, pois Ant√īnio recebera por doa√ß√£o de sua m√£e esta fazenda.

   Muitos foram os bons produtos, nascidos de Aba√≠ba Eldorado, na Fazenda Provid√™ncia, destacando-se as f√™meas: Provid√™ncia Alvorada, Provid√™ncia Argentina, Provid√™ncia Baroneza, Provid√™ncia √ćndia, Provid√™ncia Il√≠ada, Provid√™ncia J√≥ia, Provid√™ncia Dalila, Provid√™ncia Cigana, Provid√™ncia Garoa, Provid√™ncia Helena, etc., e os machos: Aba√≠ba Retrato, Provid√™ncia Famoso, Provid√™ncia Garoto, etc.. Tendo um n√ļmero j√° de poldras, na idade de cobertura e n√£o encontrando um outro reprodutor √† altura de Aba√≠ba Eldorado, usou-o nas pr√≥prias filhas, tendo obtido um excelente resultado. A sele√ß√£o do rebanho deu um salto enorme e da√≠ destacaram-se as seguintes f√™meas: Provid√™ncia Eletra (filha de Provid√™ncia Argentina), Provid√™ncia Helenice (filha de Provid√™ncia Dalila), Provid√™ncia Haia (filha de Provid√™ncia Cigana), Provid√™ncia Jandaia (filha de Provid√™ncia Dalila), Provid√™ncia Mara (filha de Provid√™ncia Alvorada), Provid√™ncia Morena (filha de Provid√™ncia Garoa), Provid√™ncia Nuvem (filha de Provid√™ncia Alvorada), etc., e os machos: Eldorado II (que morreu novo e filho de Provid√™ncia Alvorada), Provid√™ncia Im√£ (filho de Provid√™ncia Baroneza), Provid√™ncia It√ļ (filho de Provid√™ncia Alvorada), Provid√™ncia J√ļpiter (filho de Provid√™ncia Alvorada), Provid√™ncia Leblon (filho de Provid√™ncia Alvorada), etc.. Em 1959, Aba√≠ba Eldorado foi trazido a S√£o Paulo, com dezenove anos de idade, na III Exposi√ß√£o ‚Äď Feira de Gado Leiteiro e Cavalos Marchadores e sagrou-se o Campe√£o da Ra√ßa. Acreditamos ser o 1¬ļ cavalo Mangalarga Marchador, registrado, campe√£o em S√£o Paulo.

   Estando Provid√™ncia It√ļ com 3 anos, foi ent√£o experimentado no plantel, cobrindo algumas √©guas. Quando Aba√≠ba Marengo estava mais ou menos com 1 ano de idade (nasceu em 17/10/1964), Ant√īnio pediu para seu pai para traze-lo, recria-lo na Fazenda Provid√™ncia, e tirar algumas produ√ß√Ķes do mesmo; enquanto isto, Itu iria para a Fazenda Aba√≠ba e permaneceria l√°. Assim, veio o Marengo para a Provid√™ncia, onde seus olhos tristes viveriam anos de extrema felicidade. Aba√≠ba Eldorado morreu aos 24 anos de idade, portanto em 1964, na Fazenda Provid√™ncia, em conseq√ľ√™ncia de uma pancada que tomou na soldra e que infeccionou. Provid√™ncia Itu foi usado em 1965 e depois foi emprestado √† Fazenda Aba√≠ba. Neste interregno de tempo foram usados os garanh√Ķes Provid√™ncia J√ļpiter e em algumas √©guas Provid√™ncia Escudo, at√© que Aba√≠ba Marengo completasse 3 anos. Aba√≠ba Marengo foi recriado e usado no rebanho at√© 1972, quando devolvido √† Fazenda Aba√≠ba. Deixou numerosa descend√™ncia de √≥tima conforma√ß√£o e andamento, tendo se destacado √† Campe√£ Nacional, em Goi√Ęnia 1973, Provid√™ncia Pastora. E o Campe√£o Nacional, Provid√™ncia Regente, em Campos ‚Äď RJ, em 1975. Deixou muitas outras filhas e filhos.

   Um filho de Aba√≠ba Marengo, Provid√™ncia Quartzo, nesse intervalo de tempo foi usado em algumas √©guas. Tendo retornado da Aba√≠ba em 1972, foi Provid√™ncia It√ļ para a Fazenda Lagoa Formosa e come√ßou a servir parte do plantel que j√° havia ido para l√°.

   O restante do plantel, que havia ficado na Provid√™ncia, foi servido por Provid√™ncia Quartzo. Ant√īnio, quando levou parte do plantel para a Fazenda Lagoa Formosa, come√ßou a utilizar em todo o criat√≥rio (da letra U, inclusive, em diante), o sufixo A.J. no lugar do prefixo Provid√™ncia. Em 1974, tamb√©m foi usado no plantel Provid√™ncia Regente. Em 1975, Ant√īnio pediu a seu pai o Aba√≠ba Reserva emprestado para um per√≠odo de monta.

   Em 1976, Provid√™ncia Regente foi usado praticamente em todas as √©guas. O plantel, que at√© 1976 era bem mais numeroso, foi reduzido por Ant√īnio que mandou ao Leil√£o realizado em Belo Horizonte, neste ano, mais ou menos 28 animais entre machos e f√™meas, tendo batido o Record nacional para o pre√ßo de f√™meas de todas as ra√ßas, com Provid√™ncia Quimera (Cento e cinco mil cruzeiros). Em 1977, al√©m de Provid√™ncia Regente, foi usado tamb√©m Xerife AJ. Em 1978, solicitou Ant√īnio a seu pai o empr√©stimo novamente de Aba√≠ba Reserva, que foi colocado com todas as √©guas da Fazenda. Em 1979, as coberturas foram divididas entre Provid√™ncia Regente e Xerife AJ.

   Em 1980, foram as √©guas cobertas por Xerife AJ, Aba√≠ba Eros e Provid√™ncia Regente. Em 1981, foram novamente Provid√™ncia Regente e Xerife AJ que padrearam as √©guas. Em 1982, 1983,1984 e 1985 foi Aba√≠ba Gim o principal padreador do rebanho. Em 1986, 1987 e 1988, as coberturas do plantel foram distribu√≠das entre Provid√™ncia Regente, Aba√≠ba Gim e H√©rcules AJ. Muitos foram os pr√™mios obtidos pelos animais de prefixo Provid√™ncia, como tamb√©m de sufixo AJ, al√©m dos records de pre√ßos em leil√Ķes, que come√ßaram com Provid√™ncia Quimera, em Belo Horizonte em 1976, e se estenderam at√© este ano com Banda AJ no II Leil√£o Aba√≠ba, da Marca √āncora, passando nesse espa√ßo de tempo por Heran√ßa AJ, Xerife AJ, Cobi√ßa AJ, Uniforme AJ, etc., alguns j√° em m√£os de outros propriet√°rios.

   Ant√īnio, se sente certamente realizado como associado ao cavalo Mangalarga Marchador, desde j√°, pelo fato de ter sido o criador de Provid√™ncia It√ļ e de Uni√£o AJ, que considera os melhores animais que seu criat√≥rio j√° produziu at√© o momento. S√£o 43 anos de cria√ß√£o, com aproximadamente 1.000 produtos nascidos sob as legendas Provid√™ncia e A.J., tornando-se assim um marco na moderna Hist√≥ria da Ra√ßa Mangalarga Marchador.

Mais Informa√ß√Ķes visite o site AJ na Internet.